Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

UFMG debate relatórios de autoavaliação dos cursos de graduação

UFMG debate relatórios de autoavaliação dos cursos de graduação

Coordenadores de cursos de graduação e integrantes de seus Núcleos Docentes Estruturantes (NDE) participaram na tarde desta terça-feira, 1 de outubro, do VI Encontro da CPA e NDE: autoavaliação dos cursos de graduação, promovido pela Diretoria de Avaliação Institucional (DAI) e pela Comissão Própria de Avaliação (CPA).

Realizado na Faculdade de Ciências Econômicas (Face), o encontro teve três momentos. Primeiramente, a professora Viviane Santos Birchal, diretora de Avaliação Institucional e presidente da CPA, falou sobre as funções dos NDEs e apresentou os resultados das análises dos seus relatórios de autoavaliação referentes ao ano de 2018. “Buscamos esclarecer a especificidade dos NDEs como instâncias consultivas ligadas aos cursos de graduação e responsáveis pelo acompanhamento dos projetos pedagógicos desses cursos, uma vez que os colegiados têm caráter deliberativo”, explica Viviane Birchal.

Segundo a diretora de avaliação institucional, a função dos NDEs é a de assessorar os colegiados em relação aos Projetos Pedagógicos de Curso (PPCs), propondo mudanças e aperfeiçoamentos. Já aos colegiados cabe tratar de questões administrativas e deliberar sobre essas alterações propostas pelos núcleos estruturantes. “O ideal é que os componentes dos NDEs e dos colegiados não sejam os mesmos, exceto nos casos dos coordenadores, que, por resolução, precisam participar das duas instâncias, até para estabelecer uma ponte entre elas", diferenciou. 

Em seguida, Benigna Maria de Oliveira, pró-reitora de Graduação, e Bruno Otávio Teixeira, pró-reitor adjunto, falaram sobre as possibilidades de inovação nos currículos de graduação no âmbito das novas Normas Gerais de Graduação (NGG), com ênfase nas formações complementares.

Boas práticas

 Na última parte do encontro, quatro NDEs – Enfermagem, Gestão Pública, Medicina e Engenharia de Sistemas – foram convidados a apresentar as suas práticas. Por fim, o encontro foi aberto ao debate. “Entre os vários NDEs com experiências interessantes, a CPA elegeu quatro relatórios que reuniam exemplos distintos de boas práticas. Foi uma oportunidade de também discutir os desafios enfrentados”, explica a diretora.

Segundo ela, a apresentação desses relatórios fomentou uma aproximação entre a CPA e os NDEs e dos NDEs entre si, com o compartilhamento de experiências e discussão de desafios comuns. “Encontros presenciais como esse mostram uma abertura da CPA como canal de escuta e suporte aos NDEs em suas atividades de avaliação. Dessa forma, fortalecemos a cultura de autoavaliação na UFMG", conclui a professora.

(Cedecom/UFMG)