Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

Medicina da UFMG é acreditada com selo de qualidade do Saeme

A Faculdade de Medicina da UFMG, que já é reconhecida por sua excelência no ensino, recebeu mais um selo que reforça sua qualidade e relevância no âmbito nacional e internacional. Nesta quarta-feira, 25 de setembro, o curso de Medicina foi acreditado pelo Sistema de Acreditação de Escolas Médicas (Saeme), que certifica as atividades da Instituição com padrões internacionais e reconhecidos pela World Federation for Medical Education (WFME).

Na prática, o selo comprova a excelência do curso em diferentes aspectos, como educacionais, perfil dos docentes, qualidade da gestão e da infraestrutura disponível. Além disso, os alunos passam a ter diploma reconhecido em países de primeiro mundo, o que facilita o encaminhamento para estudo e residência médica no exterior. 

“Somos uma Instituição que tem um protagonismo e que historicamente vem demonstrando a sua qualidade. Esse é um reconhecimento nacional e internacional de um trabalho que vem sendo desenvolvido há mais de um século e que continua forte”, comenta a coordenadora do Colegiado do curso de Medicina da Faculdade de Medicina da UFMG, professora Taciana Figueiredo Soares.

Além de cumprir com os requisitos que certificam a qualidade dos serviços, o curso de Medicina foi elogiado pelo grande compromisso com o Sistema Único de Saúde (SUS), o apoio à construção de políticas públicas, pelas práticas inclusivas e a flexibilidade na composição do currículo. Outro diferencial apontado pelo Saeme foi a identidade do corpo docente, discente e de gestão com as atividades relativas à formação médica no ensino, pesquisa e extensão.

Para obter o selo, a Faculdade realizou uma autoavaliação, por meio do preenchimento de formulário com 80 itens sobre os domínios Gestão Educacional, Programa Educacional, Corpo Docente, Corpo Discente e Ambiente. Após a autoavaliação, uma visita técnica foi realizada na Instituição para analisar e comprovar os itens descritos no formulário. 

Dos 80 itens avaliados, o curso de Medicina foi considerado insuficiente em apenas nove. Dentre os quesitos que ainda podem ser aprimorados, estão a distribuição da carga horária semanal e espaço de trabalho para os professores. “Essas questões estão muito próximas do que já tínhamos indicado na autoavaliação, o que mostra que temos um bom entendimento de nossa Instituição. A distribuição da carga horária semanal, por exemplo, já estava sendo revista por nós”, afirma a professora Taciana Figueiredo Soares.

Novidades

A integração dos alunos com o ciclo básico, que é ofertado no Instituto de Ciências Biológicas da UFMG (ICB), foi considerada suficiente. Apesar disso, o Saeme entende que esse é ponto que pode ser aprimorado. A subcoordenadora do Colegiado do curso de Medicina, Denise Carmona, que é coordenadora do Colegiado do Ciclo Básico do ICB, explica que ações nesse sentido também já estão sendo colocadas em prática, inclusive com a aprovação nesta quarta-feira, 25, da realocação das disciplinas.

A partir do próximo semestre, os alunos do ciclo básico terão, por dia, aulas somente no ICB, localizado no Campus Pampulha, ou apenas no Campus Saúde, na área hospitalar de Belo Horizonte. Isso significa que não precisarão mais se descolar entre os campus para participarem das aulas. “A mudança visa uma questão de mobilidade, econômica e também de maior inclusão dos alunos com deficiência”, explica a professora Denise Carmona.

A participação da professora do ICB como subcoordenadora do Colegiado do curso de Medicina desde abril deste ano também evidencia maior aproximação entre os órgãos, tornando possível ações como essa.

Saeme

O Sistema de Acreditação de Escolas Médicas foi criado em 2015, por meio de uma parceria entre o Conselho Federal de Medicina (CFM) e a Associação Brasileira de Educação Médica (Abem). A acreditação, gratuita, é reconhecida internacionalmente pela World Federation for Medical Education e válida por três anos.

(Texto: Site da Faculdade de Medicina da UFMG)