Brasil
< Início

Instituições de ensino e entidades propõem redes para enfrentamento de problemas de municípios mineradores

Publicado em: 28-11-2019

Evento sobre Quadrilátero Ferrífero, realizado na Escola de Engenharia da UFMG, elabora relatório para fortalecer ações em rede em consonância com os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável     

Como as instituições de ensino e de pesquisa, entidades, empresas e os diversos segmentos da sociedade organizada podem juntos contribuir para o desenvolvimento do Quadrilátero Ferrífero e do país? O fim da mineração é, de fato, a solução para os problemas de ordem social e ambiental? Essas foram algumas das questões discutidas e lançadas durante o fórum “O Quadrilátero Ferrífero e os ODS: visões de futuro”, que aconteceu de 27 a 28 de novembro no Auditório Central da Escola de Engenharia – campus Pampulha da UFMG.  

Para cada um dos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS), da ONU, foi proposta uma agenda de ações e meios para o enfrentamento de problemas comuns por que passam municípios brasileiros, em especial aqueles sob influência da mineração. Entre as proposições – sistematizadas pela relatoria do encontro –, está o fortalecimento das redes de cooperação interinstitucional com o objetivo de mobilizar outras frentes, atores e instâncias da sociedade. “A ideia é fazer com que o conhecimento produzido e fomentado possa evoluir e contribuir de forma efetiva e perene para o desenvolvimento local dos municípios, como aqueles economicamente dependentes da mineração”, destacou o coordenador do fórum, Renato Cimielli.

78503729_3182582561757561_5325512963161849856_o

Para cada um dos 17 ODS foram propostas ações para o enfrentamento de problemas comuns dos municípios mineradores

Entre as ações propostas, está o mutirão de Instituições Federais de Ensino e entidades – que tem a participação da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e Fundação Oswaldo Cruz. O objetivo é formar e intensificar parcerias para o desenvolvimento econômico e sustentável do QF. “A SPBC Minas se coloca à disposição para fazer frente aos desafios de preservação ambiental e de justiça social da região e do país”, disse a representante da entidade, Andrea Macedo, que é também professora do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG.

De acordo pró-reitora de Extensão pro tempore da Federal de São João Del Rey (UFSJ), Fernanda Corghi, os debates em torno de visões de futuro para o QF perpassam pela indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão nas universidades públicas. “A produção do conhecimento deve estar a serviço da melhoria da realidade desses municípios. Para tanto, faz-se necessário concatenar e alinhar objetivos em diversos níveis e instâncias. Temos, a propósito, de fazer ‘o dever de casa’ em nossas instituições”, afirmou a representante, que elencou “experiências exitosas” da UFSJ junto a comunidades do entorno dos seus campi nas regiões do Campo das Vertentes e do Alto Paraopeba, como Congonhas e Ouro Branco, cidades mineiras integrantes do QF.   

Painéis temáticos

Nos dois dias do evento, panelistas, estudantes, pesquisadores e representantes de diversas entidades compartilharam suas experiências nas áreas de meio ambiente, saúde, questão hídrica, governança, direitos humanos, identidade territorial, desenvolvimento integrado, direito à educação. O fórum foi fruto de parceria entre a Pró-reitoria de Extensão da UFMG, Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia (INCT Acqua), sediado na Universidade, o Geopark Quadrilátero Ferrífero e outras entidades.

As conclusões do evento serão também encaminhadas ao Fórum de Pró-Reitores das Instituições Públicas de Educação Superior Brasileiras (Forproex) e ao 9º Congresso Brasileiro de Extensão Universitária (Cbeu), evento que a UFMG receberá em 2020, nos dias 15 a 17 de julho, cujo tema será” Redes para Promover e Defender os Direitos Humanos” (para informações sobre Cbeu, acompanhe este site e redes sociais da Pró-reitoria de Extensão). 

Confira fotos do fórum “O Quadrilátero Ferrífero e os ODS: visões de futuro” na página da Proex no Facebook.

Veja matéria da abertura do encontro.

Assessoria de Comunicação da Proex

AV. Antônio Carlos, 6627 - Pampulha - prédio da Reitoria, 6° andar - Belo Horizonte - MG/CEP 31270-901