Brasil
< Início

Debate sobre atuação da Estação Ecológica UFMG na conservação da biodiversidade abre ciclo de palestras on-line

Publicado em: 22-07-2020

EECO

Live apresentou a história do lugar, questões políticas, sociais e históricas, e os grandes desafios da gestão da área (Reprodução YouTube)

A exposição da Estação Ecológica UFMG como referência na conservação do patrimônio histórico-cultural e da biodiversidade abriu na terça-feira, dia 21 de julho, o ciclo de palestras on-line Gestão de Áreas Protegidas.  

O evento foi moderado pelo professor Ricardo Solar, coordenador do programa de pós-graduação em Ecologia, Conservação e Manejo de Vida Silvestre (ECMVS) da UFMG. Contou com a participação da diretora da Estação Ecológica (EECO) e professora do Instituto de Ciências Biológicas (ICB), Dodora Drumond, do gerente administrativo da EECO, Vinícius Matos, e da coordenadora do Programa de Extensão Estação Ecológica UFMG (Proeco) e professora do Instituto de Geociências (IGC) da UFMG, Andréa Carvalho.

A Estação Ecológica UFMG é uma importante área protegida do Campus Pampulha destinada à conservação da natureza, à valorização cultural e ao desenvolvimento de pesquisas e de ações educativas. 

O evento apresentou a história do lugar, questões políticas, sociais e históricas, e os grandes desafios da gestão de uma vasta área verde em espaço urbano, de 114 hectares, na qual predominam características dos biomas Mata Atlântica e Cerrado. “A cidade de Belo Horizonte está na área de transição entre o Cerrado e a Mata Atlântica e somente pouco mais de 10% do território está em áreas protegidas”, explicou Dodora, que acrescentou, ao responder a perguntas do público, que "a área ambiental tem um potencial imenso para o desenvolvimento de projetos". 

Vinícius Matos destacou “os desafios estruturais à conservação de áreas protegidas do porte da EECO, manejo, contexto urbano, fragmentação, incêndios florestais e questões burocráticas que envolvem o território”. Já a professora Andréa Carvalho abordou as estratégias de uso público utilizadas pelas áreas de conservação, apresentou o Proeco - que é um programa de extensão que desenvolve atividades no interior da Estação Ecológica, como eventos e visitas guiadas - e os desafios atuais impostos à gestão ambiental pela pandemia. "O cenário atual é propício para pensarmos sobre várias coisas e, sobretudo, sobre as áreas protegidas e o modelo de sociedade que a gente quer", afirmou.  

O vídeo da apresentação da Estação Ecológica está disponível no canal do YouTube do Centro de Síntese Ecológica e Conservação (CSEC)

O encontro fez parte de um série de palestras nos dias 21 a 28 de julho. As palestras foram realizadas em parceria com o Programa de Pós-graduação em Ecologia, Conservação e Manejo de Vida Silvestre (ECMVS) da UFMG, e contou com exposições, ao vivo, nas quais foram debatidas questões atuais acerca da administração de áreas protegidas e da conservação dos recursos naturais no país. Confira a programação.

Júlia Salles/Bolsista da Assessoria de Comunicação da Proex

AV. Antônio Carlos, 6627 - Pampulha - prédio da Reitoria, 6° andar - Belo Horizonte - MG/CEP 31270-901