Brasil
< Início

Claudia Mayorga passa a compartilhar experiências em direitos humanos no Conselho Federal de Psicologia

Publicado em: 30-03-2020

A professora Claudia Andréa Mayorga Borges, vinculada ao Departamento de Psicologia da Fafich e pró-reitora de Extensão da UFMG, tomou posse, no dia 24 de março, como membro da Comissão de Direitos Humanos do Conselho Federal de Psicologia (CDH/CFP), para o período de 2020-2022. A atividade tem natureza honorífica, sem remuneração.

A posse, marcada anteriormente para 4 de abril, foi antecipada – e realizada a distância – em razão das urgências relacionadas à pandemia da Covid-19. 

Criada em 1998, a Comissão atua para incentivar a reflexão sobre os direitos humanos inerentes à formação, prática profissional e pesquisa em Psicologia, intervir nas situações em que haja violações de direitos humanos que produzam sofrimento mental, colaborar em iniciativas destinadas a preservar os direitos humanos, apoiar o movimento internacional nesse campo e estudar todas as formas de exclusão que provoquem sofrimento mental.

Pandemia e desigualdades

Em sua manifestação durante o evento on-line, Claudia Mayorga lembrou que “as desigualdades brasileiras são estruturais, e a pandemia do coronavírus atinge de formas distintas os grupos em nossa sociedade. Toda política de atenção à população deve considerar essas especificidades, e as medidas tomadas precisam considerar a dimensão das pessoas – sua saúde física e mental – e também a dimensão estrutural”.

Profa Claudia Mayorga

Segundo a professora, é preciso começar já a construir as saídas dessa situação. “Essa construção envolve uma compreensão sobre os efeitos de diversas ordens da pandemia e a adoção de medidas que não acirrem as desigualdades que marcam as vidas de moradores de vilas, favelas e ocupações, indígenas, trabalhadores rurais, mulheres, trabalhadores terceirizados, deficientes e tantos outros.” 

Claudia ressaltou que as situações de isolamento já têm consequências que deverão ser analisadas por vários profissionais, incluindo os da psicologia. “Políticas estão sendo pensadas em todo o Brasil, e a dimensão da saúde mental deve estar articulada com tantas outras que envolvem os impactos da pandemia”, disse.

A pró-reitora de Extensão afirmou ainda que pretende compartilhar, na Comissão de Direitos Humanos do CFP, as experiências das políticas desenvolvidas na Universidade, como a Rede Direitos Humanos, a Rede Saúde Mental e o Programa Participa UFMG. “Espero também que o trabalho da comissão colabore com as políticas que estão sendo construídas pela UFMG e por outros profissionais da psicologia em Minas Gerais. O diálogo com diversos setores da sociedade é fundamental nesse momento”, completou. 

Claudia Mayorga é psicóloga e atua na área de psicologia social e comunitária. Coordena o Núcleo de Pesquisa e Extensão Conexões de Saberes na UFMG e desenvolve atividades no campo dos direitos humanos de populações das periferias, mulheres e negros, com ênfase em políticas públicas.

Fonte: Portal UFMG

AV. Antônio Carlos, 6627 - Pampulha - prédio da Reitoria, 6° andar - Belo Horizonte - MG/CEP 31270-901